O PPGCA iniciou suas atividades em 2005, com o Mestrado Acadêmico e o Doutorado foi aprovado em 2010 com o início da primeira turma em 2011. Na Avaliação Trienal da CAPES, o PPGCA recebeu Nota 4 em 2011 e na Avaliação Quadrienal de 2013 a 2016, o PPGCA aumentou seu nível para a Nota 5. 

O PPGCA é uma referência no processo de formação acadêmica, visto que foi o primeiro curso de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da região, adotando a interdisciplinaridade como norteamento das linhas de pesquisa e caráter interinstitucional, por meio da parceria firmada com duas importantes instituições científicas, reconhecidas nacional e internacionalmente por sua produção científica e atuação na Amazônia: o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA/Amazônia Oriental).

 

Em termos de sua evolução (até Março de 2019) destaca-se: 

- 15 (quinze) Processos Seletivos de Mestrado, com média de mais de 05 (cinco) candidatos por vaga.

- 09 (nove) Processos Seletivos de Doutorado, em que a procura foi variável e de acordo com a oferta de vagas e forma de ingresso (Fluxo Contínuo de 2011 a 2014 e uma entrada anual a partir de 2015), sendo que no último a demanda foi de mais de 02 (dois) candidatos por vaga. 

- 177 Mestres (2005-2018) e 21 Doutores (2011-2018) formados pelo Programa. 

- 06 (seis) projetos de Pós-Doutorado (2015-2018) diretamente ligados a Docentes do Programa vinculados nas 03 instituições componentes: EMBRAPA, MPEG e UFPA. Os Bolsistas Pos-Doc atuam nos projetos de pesquisa e em atividades de ensino nas disciplinas de Pós-Graduação, bem como atuam em Bancas de Qualificação e defesas de Mestrado. 

- de 2014 a 2018 ingressaram um total de 16 Discentes estrangeiros (9 países diferentes) via programa vinculado à Organização dos Estados Americanos (PAEC-GCUB-OEA do Ministério do Exterior/CNPq): Scholarships to Study Masters or Doctorate Programs in Brazilian Universities. 

- de 2016 a 2018 foram realizados 05 (cinco) Estágios de Doutorado no exterior, sendo 01 na Holanda, 02 nos Estados Unidos da América e 02 em Portugal. 

- Foi agraciado no Prêmio CAPES de Teses como a MELHOR TESE de 2018 na área de Ciências Ambientais, com a Tese intitulada “Mudanças climáticas e a floresta amazônica ao longo do tempo e espaço” do discente Luciano Jorge Serejo dos Anjos, sob orientação do Dr. Peter Mann de Toledo. Resultado completo no link:  http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese/noticias/pct/9113-teses-premiadas-em-2018 

- Ainda no Prêmio CAPES de TESES, o Docente do PPGCA Everaldo Barreiros de Souza também foi agraciado como MENÇÃO HONROSA na área de Ciências Ambientais pela Tese intitulada “Eventos extremos de descargas atmosféricas no estado de São Paulo: Casos observados e cenários futuros” da discente Ana Paula Paes dos Santos, sob orientação do Dr. Osmar Pinto Junior (CCST/INPE) e Everaldo Barreiros de Souza (PPGCA/UFPA). Esta Tese foi defendida no Programa do CCST/INPE. Resultado completo no link: http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese/noticias/pct/9114-mencoes-honrosas-2018 

Nos anos de 2017/2018 foram mantidos as Parcerias Nacionais e Internacionais do PPGCA com a Universidade de São Paulo, Sistema de Proteção da Amazônia, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, e com a Universidade de Lancaster, Organização Meteorológica Mundial, Université Sorbonne, Naturalis Biodiversity Center, Stockholm Environment Institute, University at Albany, University of Oslo e Universidade of Leeds.